JAPURÁ – AM – Paróquia Nossa Senhora Aparecida

Prelazia de Tefé – AM – Norte I CNBB

Reflexões litúrgicas para a 4a feira de Cinzas

Deixe um comentário

Caríssimos Irmãos e Irmãs!

Ao repassar-lhes as reflexões litúrgicas para a 4a feira de Cinzas de Pe.
Itacir e Pe. Antonio Geraldo faço uso da introdução de Pe. Itacir:

“SE QUERES SER PERFEITO… O CAMNHO È DESFAZER-SE DAS COISAS QUE NOS
POSSUEM, PARTILHAR TUDO E SOLIDARIAMENTE COM OS POBRES, COLOCAR-SE LIVRE E
GENEROSAMENTE NO CAMINHO ABERTO POR JESUS CRISTO. NAS PALAVRAS DE JOEL:
MUDAR DE CORAÇÃO, E NÃO DE FANTASIA! EIS O CAMINHO QUE SE ABRE À NOSSA
FRENTE COM A QUARTA-FEIRA DE CINZAS. ELA NÃO MARCA O FIM DA FESTA, MAS O
EXIGENTE COMEÇO DA PREPARAÇÃO DA FESTA, COM MAIÚSCULA, DO VERDADEIRO
CARNAVAL: A PÁSCOA-PASSAGEM DA MORTE PARA A VIDA, DO EU PARA O NÓS, DA
ESCRAVIDÃO PARA A LIBERDADE, DA INDIFERENÇA PARA A SOLIDARIEDADE. BOM
COMEÇO DA QUARESMA! ITACIR MSF.”

Com estima fraterna,
Ir. Liani csc
Quaresma1400: Cinzas

Com o rito das Cinzas, iniciamos hoje
o tempo sagrado da QUARESMA.

A Bíblia usa com freqüência o período de 40 dias
(ou 40 anos) para indicar períodos especiais,
que criam um clima adequado para algo que vai acontecer.

– O Povo caminha 40 anos no deserto, antes de entrar na Terra Prometida.
Foi uma experiência de Purificação dos falsos deuses, de Adesão
aos mandamentos (Aliança) e de solidariedade no deserto…
– Elias caminha 40 dias e 40 noites até o Monte sagrado de Oreb;
– O Dilúvio: 40 dias para purificar a humanidade corrompida;
– Moisés: 40 dias no Sinai antes de receber a Lei…

– Jesus: 40 dias no deserto antes de iniciar a vida pública…

– Quaresma é para nós um tempo forte de conversão e renovação
em preparação à PASCOA.

+ A Liturgia nos aponta o espírito que deve animar esse tempo:

Na 1a Leitura, o profeta Joel convoca o povo de Israel em assembléia e
o exorta à conversão:
“Rasgai os vossos corações, não as vossas vestes”. (Jl 2,12-18)

* A Quaresma é tempo de rasgar o coração e voltar ao Senhor. Tempo de retomar o caminho de se abrir à graça do Senhor, que nos ama e no socorre.

O Salmo 50 é um forte apelo penitencial: Pequei, Senhor, misericórdia”.

Na 2a Leitura, Paulo exorta os Coríntios e hoje a nós:
“Reconciliai-vos com Deus… Eis agora o tempo favorável.” 2Cor 5,20-6,2)

No Evangelho Jesus apresenta três práticas religiosas dos judeus
(a esmola, a oração e o Jejum),
que devem ser realizadas com autenticidade, sem exibicionismo…
São também os três caminhos quaresmais apontados pela Igreja:

– A Oração nos leva a uma EXPERIÊNCIA pessoal com Deus..
– O Jejum nos leva a um gesto concreto de conversão:
privar-se de algo para uma liberdade interior maior.
– A Esmola nos leva a nos doar aos irmãos, no serviço fraterno,
em gesto de solidariedade e de partilha.

No caminho de conversão quaresmal, a Conferência Nacional dos Bispos
do Brasil nos apresenta a CAMPANHA DA FRATERNIDADE
como itinerário de libertação pessoal, comunitária e social.
Tráfico Humano e Fraternidade é o tema dessa Campanha em 2014.
O lema é inspirado na carta aos Gálatas:
“É para a liberdade que Cristo nos libertou” (5,1).

O Objetivo Geral é identificar as práticas de tráfico humano
em suas várias formas e denunciá-lo como violação
da dignidade e da liberdade humana,
mobilizando cristãos e a sociedade brasileira para erradicar esse mal,
com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus

Objetivos específicos são:
– Identificar as causas e modalidades do tráfico humano e os rostos
que sofrem com essa exploração;
– Denunciar as estruturas e situações causadoras do tráfico humano;
– Cobrar dos poderes públicos, políticas e meios para a reinserção
na vida familiar e social das pessoas atingidas pelo tráfico humano.
– Promover ações de prevenção e de resgate da cidadania das pessoas
em situação de tráfico.
– Suscitar, à luz da Palavra de Deus, a conversão que conduza
ao empenho transformador dessa realidade aviltante da pessoa humana.
– Celebrar o mistério da morte e ressurreição de Jesus Cristo,
sensibilizando para a solidariedade e o cuidado às vítimas desse mal.

A situação do tráfico humano no país e no mundo é alarmante:
a Organização Internacional do Trabalho atenta para o aumento
de vitimas do tráfico humano, do trabalho forçado e
do tráfico para a exploração sexual.
De acordo com o site da Organização das Nações Unidas,
no Brasil, o tráfico de pessoas faz cerca de 2,5 milhões de vítimas por ano,
incluindo homens, mulheres e crianças,
mas principalmente pessoas vulneráveis e carentes,
psicologicamente e de recursos.

O tema da Campanha da Fraternidade chegará junto com a Copa de 2014,
época em que o país receberá muitos eventos e visitantes,
o que pode favorecer a ação de aliciadores e traficantes.
A Campanha será intensificada com um trabalho de conscientização
para minimizar a prática criminosa.
Segundo a ONU, o tráfico de pessoas é bastante lucrativo:
movimenta anualmente 32 bilhões de dólares em todo o mundo.
Desse valor, 85% provém da exploração sexual.

Diante de um crime que clama aos céus, como o tráfico humano,
não se pode permanecer indiferente, sobretudo os discípulos-missionários.
A Conferência de Aparecida reafirmou à Igreja latino-americana
que sua missão implica necessariamente advogar pela justiça e defender
os pobres, especialmente em relação às situações que envolvem morte.
Que as cinzas, que hoje recebemos com devoção na fronte,
sejam um sinal externo de nossa adesão sincera e ardorosa nessa campanha…

Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa – 05.03.2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s