JAPURÁ – AM – Paróquia Nossa Senhora Aparecida

Prelazia de Tefé – AM – Norte I CNBB

A tua fé salvou-te. Vai em paz

Deixe um comentário

Prezados Irmãos e Irmãs!
Como criaturas humanas frágeis e pecadoras, podemos cultivar em nós a
certeza de que  a misericórdia de Deus para conosco é maior. Que a Palavra
de Deus do 11º dom do TC e as partilhas de nossos Irmãos nos ajudem  a
aprofundar esta realidade. Desejo-lhes fecunda missão com a Palavra!
Com estima fraterna,
Ir.  M. Liani Postai csc
Prelazia deTefé-AM

DEFENSOR DAS PROSTITUTAS

Pe. José Antonio Pagola.    Tradução: Antonio Manuel Álvarez Pérez

Jesus encontra-se em casa de Simão, um fariseu que o convidou a comer. Inesperadamente, uma mulher interrompe o banquete. Os convidados reconhecem-na de seguida. É uma prostituta da aldeia. A sua presença cria mal-estar e expetativa. Como reagirá Jesus? Irá expulsa-la para que não contamine os convidados?

A mulher não diz nada. Está habituada a ser desprezada, sobre tudo, nos ambientes fariseus. Diretamente dirige-se a Jesus, atira-se aos Seus pés e começa a chorar. Não sabe como agradecer-lhe a seu acolhimento: cobre os Seus pés de beijos, unge-os com um perfume que trás consigo e seca-os com o seu cabelo.

A reação do fariseu não se faz esperar. Não podem dissimular o seu desprezo: “Se este fosse profeta, saberia quem é esta mulher e o que é: uma pecadora”. Ele não é tão ingénuo como Jesus. Sabe muito bem que esta mulher é uma prostituta, indigna de tocar em Jesus. Tinha que afasta-la Dele.

Mas Jesus não a expulsa nem a rejeita. Pelo contrário, acolhe-a com respeito e ternura. Descobre nos seus gestos um amor limpo e uma fé agradecida. Diante de todos, fala come la para defender a sua dignidade e revelarlhe como Deus a ama: “Os teus pecados estão perdoados”. Logo, enquanto os convidados se escandalizam, reafirma-a na sua fé e deseja-lhe uma vida nova: “A tua fé salvou-te. Vai em paz”. Deus estará sempre com ela.

Há uns meses, chamaram-me para tomar parte num Encontro Pastoral muito particular. Estava entre nós um grupo de prostitutas. Pude falar com tempo com elas. Nunca as poderei esquecer. Ao longo de três dias pudemos escutar a sua impotência, os seus medos, a sua solidão… Pela primeira vez compreendi por que Jesus lhes queria tanto. Entendi também as suas palavras aos dirigentes religiosos: “Asseguro-vos que os publicanos e as prostitutas entrarão antes de vós no reino dos céus”.

Estas mulheres enganadas e escravizadas, submetidas a todo o tipo de abusos, aterrorizadas para as manter isoladas, muitas sem proteção nem qualquer segurança, são as vítimas invisíveis de um mundo cruel e inumano, silenciado em boa parte pela sociedade e esquecido praticamente pela Igreja.

Os seguidores de Jesus, não podemos viver de costas ao sofrimento destas mulheres. As Nossas Igrejas diocesanas não podem abandona-las ao seu triste destino. Temos de levantar a voz para despertar a consciência da sociedade. Temos de apoiar muito mais a quem luta pelos seus direitos e a sua dignidade. Jesus que as amo tanto seria também hoje o primeiro a defende-las.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s